Conselhos

Guia jurídico

Quais são as montagens proibidas no mesmo eixo?

É proibido montar no mesmo eixo, com rodas simples ou em duplo, pneus para veículos pesados:

  • de marcas diferentes;
  • de dimensões diferentes;
  • de categorias de utilização diferentes - pneus rodoviários, especiais ou para neve (com marcação M+S). É a categoria de utilização que importa e não a escultura do pneu (o seu piso);
  • de estruturas diferentes (radial ou diagonal);
  • com índices de velocidade diferentes;
  • com índices de capacidades de carga diferentes.

Para uma montagem em segurança

É possível montar pneus com esculturas diferentes no mesmo eixo se estes tiverem:

  • a mesma marca;
  • a mesma dimensão;
  • a mesma estrutura;
  • a mesma categoria de utilização;
  • o mesmo código de velocidade;
  • e índices de capacidade de carga idênticos.

A Michelin recomenda que no mesmo eixo sejam montados pneus com uma escultura idêntica ou, na sua impossibilidade, se juntem pneus com a mesma escultura.

O desgaste dos pneus

A profundidade dos canais principais em quatro pontos repartidos de forma uniforme na circunferência do pneu não deve ser inferior a um milímetro em mais de um ponto de entre os quatro.

usure

De acordo com um excerto do artigo R.314-1 do Código da Estrada português, este define que:

  • os pneus, à exceção dos destinados ao equipamento de construção, devem apresentar esculturas visíveis em toda a sua superfície de rolamento;
  • não deve ser visível nenhuma tela, nem na superfície, nem no fundo da escultura dos pneus;
  • os pneus não devem apresentar nenhuma ranhura profunda nos flancos.

O controlo do desgaste

O controlo do desgaste deve ser sempre feito em vários pontos do pneu.

Este controlo pode ser feito com a ajuda de um profundímetro ou através da observação de sinais de desgaste da banda de rolamento, assinalados no flanco com um símbolo, quando existem.

Se o limite de desgaste legal ou técnico for alcançado, o pneu deve ser substituído.

Consulte um profissional em caso de desgaste anormal ou de diferenças no desgaste dos pneus no mesmo eixo.

A montagem dos pneus reesculturados

O Manual de Procedimentos da Inspeção Periódica Obrigatória, indica que reesculturado está autorizada naqueles pneus que equipem veículos com mais de 3,5 toneladas e que estejam marcados com a palavra REGROOVABLE ou o símbolo U.

pneus-recreuses

A montagem dos pneus recauchutados

O Manual de Procedimentos da Inspeção Periódica Obrigatória, assinala que sobre um mesmo eixo devem ser equipados pneus do mesmo tipo.

Montagem uniforme em eixo equipado exclusivamente com pneus recauchutados:

Os pneus deverão ter as seguintes características em comum:

Marca;

Dimensão;

Estrutura;

Código de Velocidade/Índice de carga;

Mesma categoria de utilização.

É PROÍBIDO montar no mesmo eixo pneus recauchutados de marcas diferentes, independentemente da marca da carcaça.

É PERMITIDO a montagem de pneus recauchutados da mesma marca, independentemente da marca da carcaça.

Montagem mista (novo/recauchutado) sobre o eixo:

A legislação portuguesa não contempla a montagem mista NOVO-RECAUCHUTADO sobre um mesmo eixo. Os pneus de um mesmo eixo devem ser todos novos ou todos recauchutados, sem que se admita a combinação de ambos, neste caso:

A marcas dos pneus recauchutados e dos pneus novos tem de ser a mesma.

A marca das carcaças tem de ser a mesma (novos e recauchutados).

As caraterísticas técnicas dos pneus recauchutados e dos pneus novos no mesmo eixo devem ser idênticas

  • a marca da carcaça e da recauchutagem;
  • a dimensão dos pneus;
  • a estrutura (radial ou diagonal);
  • o código de velocidade e os índices de carga;
  • as condições de utilização (estrada, todo-o-terreno, neve - marcação M+S).
schema-legende

A legislação não faz referência à ESCULTURA do pneu. É, portanto, possível montar pneus recauchutados ou novos de diferentes esculturas no mesmo eixo. A Michelin não recomenda este tipo de montagem.

Os pneus MICHELIN Remix® são concebidos e fabricados para serem utilizados em eixos motrizes e nos eixos de reboques. Recomendamos que não sejam montados pneus MICHELIN Remix® no primeiro eixo da direção dos veículos a motor.

Atenção: as condições de utilização associadas à escultura devem ser as mesmas: referência à marcação M+S. A Michelin fabrica pneus novos e recauchutados para veículos pesados. A recauchutagem MICHELIN (processo REMIX ou RCX) só é realizada na carcaça MICHELIN. Os pneus recauchutados MICHELIN podem, portanto, coexistir num mesmo eixo com pneus novos MICHELIN.

A reparação do pneu

Ao longo da sua vida, um pneu está sujeito a uma série de condicionantes, podendo ser danificado de diversas maneiras.

Os pneus de CAMIÃO MICHELIN podem ser reparados em determinadas condições; esta possibilidade foi prevista desde a sua conceção.

Nem todos os danos podem ser reparados.

A reparação de um pneu é um trabalho de profissionais formados e qualificados.

O reparador será sempre o único responsável pela pertinência e pela qualidade da intervenção num pneu.

A reparação será sempre precedida por uma desmontagem e por um exame minucioso ao interior e ao exterior do pneu por parte de um profissional.

A vida útil dos pneus

Os pneus são compostos por diferentes tipos de materiais e de componentes cujas propriedades evoluem com o passar do tempo. Esta evolução depende das condições de armazenamento (temperatura, humidade, posição, etc.) e de utilização (carga, velocidade, pressão de enchimento, estado das estradas, etc.) às quais o pneu está sujeito.

Os fatores de envelhecimento são variáveis e difíceis de medir, pelo que a Michelin recomenda fortemente a realização de controlos regulares por parte do utilizador e uma inspeção regular levada a cabo por um profissional qualificado que determine a aptidão do pneu para se manter em serviço.

Esta inspeção deve ser realizada, pelo menos, uma vez por ano, a partir dos 5 anos de colocação ao serviço e após decorridos 8 anos sobre a data de fabrico.

Mobilidade invernal

País Profundidade mínima
de escultura durante o
período invernal
Obrigação de equipar pneus
com a marcação M+S ou
3PMSF
Utilização de correntes / pregos / outros Período invernal definido no tempo
Áustria 5 mm em radial
6 mm em diagonal
Sim
Únicamente no eixo motriz
Autorizadas únicamente nos eixos motrizes,
2 mm mínimo de piso
Camiões: De 01/11 a 15/04
Autocarros: De 01/11 a 15/03
Alemanha 1,6 mm Sim
Únicamente no eixo motriz
Correntes autorizadas
Velocidade limitada a 50 km/h
Em estradas com neve, com gelo, com neve derretida ou com
previsão de neve
Bélgica 4 mm Não Correntes obrigatórias se os pneus não têm marcação M+S/ 3PMSF
Transportar no veículo uma pá e um saco de areia
 
Bósnia & Herzegovina 4 mm Sim
Únicamente no eixo motriz
Correntes obrigatórias se os pneus não têm marcação M+S/ 3PMSF
Transportar no veículo uma pá e um saco de areia
De 15/11 a 15/04
Croácia 4 mm Sim
Únicamente no eixo motriz
Correntes obrigatórias se os pneus não têm marcação
M+S / 3PMSF
4 mm mínimo de piso
Em estradas com neve, com gelo, com neve derretida ou com
previsão de neve
Dinamarca 1 mm Não Autorizadas  
Eslováquia 3 mm Sim
Únicamente no eixo motriz
Autorizadas se os pneus não têm marcação M+S / 3PMSF ou se indicado
por sinalização na estrada
De 15/11 a 31/03
Eslovénia 4 mm Sim
Únicamente no eixo motriz
Autorizadas se os pneus não têm marcação M+S / 3PMSF 3 mm mínimo
de piso
De 15/11 a 31/03
Espanha Escultura visível nos
principais canais
Não Obrigação de utilizar correntes quando a sinalização na estrada o indique O tráfico de veículos pesados pode ser parado pelas autoridades em
função das condições de circulação
Finlândia 1,6 mm Não Autorizadas em condições invernais Utilização de pregos autorizada
de 01/11 a 31/03
França 1 mm Não Autorizadas Os pneus com pregos podem ser utilizados a partir do sábado
seguinte ao dia 01/11 até ao último domingo de março
Grécia 2 mm no eixo motriz
1,6 mm nos outros
Não Obrigação de utilizar correntes quando a sinalização na estrada o indique  
Holanda 1,6 mm Não Não autorizadas  
Hungria 1,6 mm diâmetro
Do pneu < 750 mm
3 mm quando > 750 mm
Não Obrigação de utilizar correntes quando a sinalização na estrada o indique  
Itália 1,6 mm Não Obrigatórios se os pneus não têm marcação M+S / 3PMSF ou se indicado
por sinalização na estrada
Obrigação de utilizar correntes quando a sinalização na estrada
o indique
Kosovo 4 mm Sim
Únicamente no eixo motriz
Obrigatórios em condições invernais Em estradas com neve, com gelo, com neve derretida ou com
previsão de neve
Luxemburgo 1,6 mm Sim
Únicamente no eixo motriz
  Em estradas com neve, com gelo, com neve derretida ou com
previsão de neve
Macedónia 6 mm no eixo
motriz
4 mm nos outros
Sim
Em todos os eixos
Correntes obrigatórias se os pneus não têm marcação M+S/ 3PMSF
4 mm mínimo de piso
Transportar no veículo uma pá e um saco de areia
De 15/11 a 15/03
Montenegro 4 mm Sim
Únicamente no eixo motriz
Transportar no veículo, correntes, uma pá e um saco de areia quando as
estradas estão com neve
De 1/11 a 1/04
Noruega 5 mm Sim (1)
Em todos os eixos inclusive os
eleváveis
Autorizadas com a obrigação de utilizar 3 a 7 pares, em função do nº de
eixos
De 15/11 a 31/03
Polónia 1,6 mm
(3 mm nos autocarros)
Não Obrigação de utilizar correntes quando a sinalização na estrada o indique Obrigação de utilizar correntes quando a sinalização na estrada o indique
Portugal 1 mm Não Obrigação de utilizar correntes quando a sinalização na estrada o indique  
Reino unido 1 mm Não Não obrigatório De 01/12 a 01/04
República Checa 5 mm Sim
Únicamente no eixo motriz
Autorizadas se os pneus não têm marcação M+S / 3PMSF ou se indicado
por sinalização na estrada
6 mm mínimo de piso
De 15/11 a 30/04 ou quando a sinalização na estrada o indique
Roménia 1,6 mm Sim Autorizadas nos eixos motrizes De 15/11 a 15/03
Rússia 4 mm Sim (1)
Em todos os eixos (2)
Autorizadas Período de referência de 1/12 a 28/02.
Qualquer federação pode aumentar o período de referência,
dependendo da duração do inverno.
Sérvia 4 mm Sim
Únicamente no eixo motriz
Utilização obrigatória pelo menos em 2 rodas motrizes. Transportar uma
pá no camião
De 01/11 a 01/04
Suécia 4 mm Sim
Únicamente no eixo motriz
Autorizadas De 01/12 a 01/04
Suiça 1,6 mm Não Obrigação de utilizar correntes quando a sinalização na estrada o indique  
Turquia 4 mm Sím únicamente no eixo motriz Autorizadas De 01/12 a 01/04
Outros países da UE 1,6 mm Não Obrigação de utilizar correntes quando a sinalização na estrada o indique Em alguns países a utilização de correntes ou de pneus de inverno
pode ser obrigatória quando a sinalização na estrada o indique
(1) Os pneus devem ser fabricados específicamente para condições invernais.
(2) Eixos portadores a partir de 2015.
(3) Eixos portadores em previsão.
Informações sujeitas a possíveis mudanças regulamentares em cada país.

A marcação E2

Os pneus fabricados pela Michelin são concebidos para responder às condições específicas de rolamento das zonas geográficas nas quais se destinam a ser comercializados e utilizados. Na Europa, os pneus MICHELIN devem ostentar a marcação E2, que atesta a sua adaptação às condições europeias de rolamento nos países que se seguem:

Albânia

Alemanha

Andorra

Áustria

Bielorrússia

Bélgica

Bósnia-Herzegovina

Croácia

Dinamarca

Espanha

Estónia

Ilhas Faroé

Finlândia

França

Geórgia

Grécia

Gronelândia

Hungria

Irlanda

Islândia

Itália

Cazaquistão

Letónia

Liechtenstein

Lituânia

Luxemburgo

Macedónia

Rep. da Moldávia

Mónaco

Noruega

Países Baixos

Polónia

Portugal

Roménia

Reino Unido

Rússia

São Marinho

Eslováquia

Eslovénia

Suécia

Suíça

Rep. Checa

Ucrânia

Vaticano

Jugoslávia

A marcação FRT

A menção «FRT» (prevista no regulamento 54: «Marcação 3.1.15») refere-se aos pneus concebidos especificamente para os eixos portadores (pneus para eixos reboque).

Este regulamento aplica-se a todos os pneus novos que sejam utilizados em território europeu: isto significa que os pneus com marcação FRT são homologados apenas para serem montados em eixos portadores e não podem equipar nenhum outro tipo de eixo.

A Michelin não se responsabiliza pelas consequências de danos de rolamento resultantes do desrespeito por estas recomendações.

O reesculturado

Principais regulamentos europeus

País Restrições de montagem dos pneus reesculturados Retirada do envolvimento de veículos pesados em função do desgaste (fora da utilização durante o inverno)
Profundidade mínima Observações
ALEMANHA Proibido nos eixos
 da direção dos veículos cuja
 velocidade atinja os 100 km/h
1,6 mm  
ÁUSTRIA Proibido em todos os eixos
 da direção de todos os veículos pesados
2 mm  
BÉLGICA Nenhum 1,6 mm  
BULGÁRIA Proibido em todos os eixos
 da direção de todos os veículos pesados
1,6 mm  
CROÁCIA Nenhum 1,6 mm  
DINAMARCA Nenhum 1 mm  
ESPANHA Nenhum nulo  
ESTÓNIA Nenhum 1,6 mm  
FINLÂNDIA Nenhum 1,6 mm  
FRANÇA Nenhum 1 mm  
GRÉCIA Nenhum 2 mm  
HUNGRIA Proibido nos eixos
 simples dos autocarros
5 mm nos autocarros com pneus
 com diâmetros de 750 mm
 3 mm para os restantes autocarros
 1,6 mm para os restantes veículos
 
ITÁLIA Nenhum 1,6 mm  
LETÓNIA nenhum 1,6 mm  
LITUÂNIA Nenhum 1 mm  
LUXEMBURGO Nenhum 1 mm nos veículos rebocados
 1,6 mm nos veículos
 a motor
 
NORUEGA Nenhum 1,6 mm  
PAÍSES BAIXOS Nenhum nulo  
POLÓNIA Proibido nos eixos
 simples dos veículos cuja
 velocidade atinja os 100 km/h
3 mm nos veículos cuja
 velocidade atinja os 100 km/h
 1,6 mm nos restantes veículos
 
PORTUGAL Nenhum    
ROMÉNIA Nenhum 1,6 mm  
RÚSSIA Proibido em todos os eixos
 da direção de todos os veículos pesados
2 mm nos autocarros
 1 mm nos restantes veículos pesados
 
SÉRVIA Nenhum 2 mm  
ESLOVÁQUIA Nenhum 1,6 mm  
ESLOVÉNIA Nenhum 1,6 mm  
SUÉCIA Nenhum 1,6 mm Pneus exteriores geminados. Sem profundidade mínima,
 exceto no período de inverno.
SUÍÇA Nenhum 1,6 mm  
REP. CHECA Proibido nos eixos
 da direção dos autocarros
1,6 mm  
TURQUIA Nenhum 1,6 mm  
REINO
 UNIDO
Nenhum 1 mm  
UCRÂNIA Proibido em todos os eixos
 da direção de todos os veículos pesados
2 mm nos autocarros
 1 mm nos restantes veículos pesados